Pular para o conteúdo principal

SUDEMA ALERTA SOBRE CRIMES AMBIENTAIS NO PERÍODO JUNINO

A equipe de fiscalização da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), ao lado do Batalhão de Policiamento Ambiental, vai intensificar as fiscalizações com o intuito de combater crimes ambientais comuns no período junino. O trabalho pretende combater o hábito de soltar balões e outras infrações proibidas por Lei.
O responsável pelas ações neste período é o tenente Aragão, que agrega os dois seguimentos e destaca que as equipes seguem diariamente a rotina de fiscalização. “Mas como o período requer mais atenção na distribuição e venda de madeiras ilegais, estamos atentos ao comércio. Vale salientar que a população deve contribuir com denúncias pelos números de telefones 190 ou 98844-2191, quando detectar alguma anormalidade com relação às questões ambientais”, salienta o tenente.
O meio ambiente é um bem fundamental à existência humana devendo ser assegurado e protegido para uso de todos, e a caracterização do crime ambiental junino está no corte ilegal de madeira, em que há casos de árvores que estão em extinção como a aroeira e baraúna.
Outro ponto é a soltura de balões, além dos fogos de artifícios. Os balões podem levar o fogo às áreas isoladas como os parques de preservação ambiental, e essa prática é proibida por lei, pois o que antes era só contravenção (delito de pouca importância), agora é crime. Os fogos podem prejudicar o meio ambiente com queimadas na flora e até queimaduras em animais e humanos.
Fiscalização de lenha - O Governo do Estado, por meio da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), realiza o cadastro dos vendedores que comercializam madeira durante todo o mês de junho. Para o cadastro da atividade, que é feito diretamente na sede da Sudema e nas demais unidades no estado, o comerciante deve requerer a licença apresentando documentos específicos como RG, CPF, comprovante de residência e declaração de origem da lenha. Sem o cadastro, e ocorrendo uma fiscalização, os vendedores serão notificados e podem responder criminalmente, além de pagar multa que varia entre R$ 5 mil e R$ 50 mil, com apreensão da madeira. 
Ação educativa - A Sudema tem uma Coordenadoria de Educação Ambiental que sempre realiza campanhas educativas. Esse trabalho é levado às escolas, comunidades, associações, eventos populares, meios de comunicação, entre outros. Todas as ações induzem à melhoria da qualidade de vida como a sensibilização as causas ambientais.

SECOM/PB


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…