Pular para o conteúdo principal

GOVERNO MAPEIA POTENCIAL ARQUEOLÓGICO DO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA DA BOCA


Técnicos da Secretaria Executiva de Meio Ambiente visitaram, no sábado (3), o Parque Estadual da Pedra da Boca, localizado no município de Araruna. A visita teve como objetivo o reconhecimento e identificação do potencial arqueológico das pinturas rupestres que existem no local.
De acordo com a gerente executiva de Meio Ambiente, Vanessa Oliveira, o Governo do Estado trabalha em uma perspectiva de valorização e conservação dos parques estaduais. “Viemos fazer um reconhecimento do potencial arqueológico do parque Pedra da Boca que é um patrimônio natural paraibano. Neste ano de 2017, e em 2018, vamos realizar diversas atividades no que se refere à preservação desses locais, explorá-los de maneira sustentável e trazer benefícios gerais para o estado e para as comunidades no entorno desses parques, como aqui no Pedra da Boca que possui comunidades inseridas dentro do parque. Mas isso é um trabalho que é feito passo a passo e tem que estar junto à comunidade para tudo dar certo”, destacou.

O arqueólogo e historiador da Universidade Federal de Mato Grosso, Luciano Pereira, destaca a importância da conservação do parque que é rico no aspecto natural e histórico. “O Parque Estadual Pedra da Boca oferece fácil acesso para visitação da população e isso é bom, pois dá oportunidade para que as pessoas possam conhecer e identificar este local que fala sobre a ocupação indígena aqui na região. A atitude mais importante do poder público é a de preservar este local que possui pinturas antropomorfas (em forma de pessoas) e zoomorfas (em forma de animais).

O Parque – O Parque Estadual da Pedra da Boca está localizado na porção norte do município de Araruna, na divisa com o Rio Grande do Norte. Sua área (157,5 km²) está inserida no bioma da Caatinga, onde as configurações geológicas e geomorfológicas são ímpares e atrativas aos estudiosos, ecoturistas e visitantes amantes da natureza e dos esportes radicais. Em algumas áreas, é possível visualizar pinturas rupestres feitas por povos indígenas que viviam no local há milhares de anos.



SECOM/PB.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…