Pular para o conteúdo principal

TÉCNICO REALIZA ESTUDO HIDROGEOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE PICUÍ

 O município de Picuí, como tantos outros inseridos do Seridó paraibano, sofre constantemente com os problemas da estiagem que assola o semiárido nordestino. Nossos mananciais superficiais, tais como riachos, rios, pequenos e médios açudes sofrem colapso total nos longos períodos secos, deixando as comunidades urbanas e rurais desabastecidas do bem mais precioso, a água.

Segundo o Técnico em Mineração, estudante de geologia e pesquisador do Núcleo de Estudos em Geologia e Geofísica Aplicada do Semiárido- NUGGAP do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba-IFPB-Campus Picuí Paulo Sales da Costa Barros em conversa com a redação do Blog “SETOR MINERAL EM FOCO” ,  a grande maioria das comunidades rurais se torna dependente do carro pipa, que transporta a água potável de longas distâncias, tornando o serviço caro para os governos federal e municipal, aparentemente sendo esta a única alternativa para aplacar a sede da população e do rebanho animal. 

“ A barragem de Várzea Grande, único manancial de grande porte do município,  que abastece a população,  por  falta de chuvas regulares  não foi reabastecido, trazendo consequências desastrosas para seus moradores. Apresentei recentemente meu relatório de estágio  como requisito para obtenção do Grau de Técnico em Mineração do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba." O presente estudo teve como objetivo realizar um diagnóstico das águas subterrâneas no município de Picuí-PB. Diante disso, foi realizado o cadastramento, levantamento e caracterização dos poços públicos. Também foram realizadas coletas de águas para análises físico-químicas e, ainda, foi feito um estudo preliminar da hidrogeologia do município, identificando os tipos de aquíferos, suas litologias, estruturas tectônicas, zonas de recarga e exutórios.” Pontuou 

“O estudo Hidrogeológico realizado no município constatou que o mesmo é constituído por rochas de diversas naturezas, compondo dois tipos de aquíferos: o poroso e o fissural. O aquífero poroso é representado por sedimentos da Formação Serra dos Martins e por aluviões em leitos de rios e riachos, fornecendo água de boa qualidade. O aquífero fissural é constituído por rochas cristalinas de idades Paleo a Neoproterozóicas, representadas por gnaisses a migmatitos, xistos, granitos e pegmatitos, produzindo água fortemente mineralizadas, “duras”, de sabor objetável. O trabalho realizado fornece informações úteis que servem de subsídios para que sejam realizadas ações visando minimizar a crise hídrica no município.” Concluiu 

Para ter acesso ao trabalho e mais informação entre em contato com Paulo Sales


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…