Pular para o conteúdo principal

CONHEÇA O PROJETO GEOPARQUE SERIDÓ

HISTÓRIA:
No Geoparque Seridó se encontra um conjunto de potencialidades naturais e cultural, com destaque para um patrimônio geológico ímpar e inigualável.
Tendo em vista o caráter excepcional do patrimônio geológico do Seridó potiguar, associado aos aspectos biológico, turístico, cultural e histórico, esta é uma região propícia a criação de um geoparque. Assim, uma parceria entre o Serviço Geológico do Brasil - CPRM e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN possibilitou iniciar o Projeto Geoparque Seridó dentro de um projeto mais amplo conhecido como Geoparques do Brasil. Com esta parceria as primeiras atividades tiveram inicio no dia 19 de abril de 2010 com apresentação de duas palestras (i) “Projeto Geoparques do Brasil”, ministrada por Carlos Schobbenhaus (Serviço Geológico do Brasil), e (ii) “Por que Geoparque Seridó?” pelo professor Marcos Nascimento (DG/UFRN), em Currais Novos, no Campus da UFRN, para estudantes, professores, equipe do SEBRAE, secretários de turismo e proprietários de pousadas da região. Em seguida foi dado início ao inventário de 25 geossítios, estes localizados nos municípios de Cerro Corá, Lagoa Nova, Currais Novos, São Vicente, Florânia, Caicó, Cruzeta, Acari, Carnaúba dos Dantas, Jardim do Seridó e Parelhas. 

Por apresentar um dos mais completo e belo patrimônio geológico encontrado no Nordeste do Brasil, o qual é decorrente de inúmeros processos naturais submetidos ao longo do Tempo Geológico, assim como as tradições preservadas, mantendo viva a identidade do povo, a região do Seridó Potiguar é palco perfeito para esse tipo de projeto. 

No momento vários projetos estão em desenvolvimento junto a proposta do Geoparque Seridó, com destaque para: (a) cadastros de novos geossítios (inventário e quantificação); (b) promoção de cursos de educação ambiental e capacitação de condutores e gestores; (c) elaboração de dissertações de mestrado (Pós-Graduação em Turismo da UFRN) sobre plano de gestão e sobre educação ambiental; (d) realização de projeto de extensão para definição de trilhas geoturísticas; e (f) preparação de material promocional (folder e vídeo).

MISSÃO


O Geoparque Seridó assume um papel importante no sentido de estimular o tripé educação, conservação e geoturismo, permitindo a comunidade local e os visitantes viverem experiências enriquecedoras, fazendo-os elementos importantes e participativos, e não apenas simples observadores de paisagem. O projeto contribuirá para tornar a região um destino geoturístico de referência, proporcionando experiências científicas, educativas, ambientais e culturais únicas. Este Projeto compreende uma nova forma de gestão territorial que tem na educação, conservação e geoturismo uma base sustentável de desenvolvimento.

Sobre
O Geoparque Seridó compreende uma área no Seridó potiguar, porção centro-sul do Estado do Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil.

INFORMAÇÕES GERAIS

Marcos Antonio Leite do Nascimento
Campus Universitário, S/N, Lagoa Nova
Caixa Postal 1678
Natal/RN - CEP: 59078-970
E-mail: caxexa@yahoo.com.br


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…