Pular para o conteúdo principal

ATIVIDADE GARIMPEIRA NO MUNICÍPIO DE PICUÍ ESTÁ ESQUECIDA. DIZ TÉC EM MINERAÇÃO

O extrativismo mineral no município de Picuí, Paraíba,  constitui a atividade garimpeira de maior relevância da Província Pegmatítica do Seridó. Desde a exploração da tantalita dos  pegmatitos pelos norte-americanos durante a segunda guerra mundial para fabricação de armamento bélico até os dias atuais.

Segundo o Pesquisador e Técnico em Mineração, Antônio de Pádua Sobrinho(Foto), a atividade garimpeira no Município de Picuí está esquecida, apesar de alguns investimentos que foram implementados  para organizar a atividade  por parte de alguns órgãos e instituições governamentais, infelizmente não houve avanços significativos, as lavras continuam sendo exploradas  de forma rudimentar,  os garimpeiros continuam empregando-se  de métodos e instrumentos rústicos para obtenção dos bens minerais , sem  planejamento logístico nas operações de pesquisa e extração, que dificultam enormemente o desmonte, transporte, carregamento e escoamento da produção que na maioria das vezes é repassada  por preços irrisórios de mercado.


“ Estudos locais revelam a importância econômica desta atividade para centenas de famílias que tem a extração mineral como fonte de emprego e  renda, principalmente na produção de paralelepípedos e meios fios utilizados na pavimentação de ruas e avenidas, que é realizada de forma manual empregando-se de ferramentas rudimentares, visitas de campo demonstram  que mesmo com a vasta experiência dos mineradores, a atividade realizada necessita de um planejamento na sua exploração, com implementação  de ferramentas mecanizadas como, por exemplo, marteletes pneumáticos e o auxílio de compressores para que seu funcionamento possibilite o aumento da produtividade e a diminuição da perda de tempo nas frentes de lavra.” Disse

  “A economia de grande parte da região polarizada por Picuí, gira  em torno da lavra de jazidas minerais para fins industriais, ou seja, granitoides para desdobramento em rochas ornamentais como mencionado acima, argilo-minerais destinados à fabricação de cerâmica vermelha e os corpos pegmatíticos cujos componentes minerais destacam-se pela imensa variedade de uso, empregados na indústria cerâmica.  É preciso que sejam criadas politicas voltadas ao incentivo e apoio ao pequeno minerador, uma alternativa extremante viável é   a articulação entre essas entidades  que “Representam” a atividade mineral no município com instituições de ensino e a iniciativa privada, para que sejam desenvolvidas ações em conjunto voltadas para a pequena mineração, tais como minicursos ,palestras, treinamento dentre outros,   já em relação aos  órgãos e instituições do setor que atuam dando apoio ao pequeno minerador na região,  os mesmos pode contribuir   com os projetos que vinham sendo desenvolvidos e com os projetos futuros,  criando oportunidades de forma transparente e democrática que envolvam a participação direta dos mineradores nas ações,dando ênfase as questões sociais,ambientais e econômicas. ”  Concluiu


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…