Pular para o conteúdo principal

A EFICIÊNCIA DO USO DE MACROS NA CONSTRUÇÃO DO PLANO DE LAVRA. Por Jony Peterson

Pessoal como vão? O Artigo dessa semana foi sugerido pelo administrado do blog o Técnico em Mineração  Antonio de Pádua, devido ao artigo que produzi chamado “A EFICIÊNCIA DO USO DE MACROS NA CONSTRUÇÃO DO PLANO DE LAVRA”. Então irei falar da importância em otimizar uma atividade ou processo.
Otimizar um processo ou atividade se refere a automatizar uma etapa ou todo o projeto, de forma a ganhar tempo para analisar os resultados e gerar uma nova estratégia, se for o caso.
Sempre falo a frase “tudo é possível com tecnologia”, logo se soubermos como funciona cada etapa de uma atividade, todas as entradas e saídas bem como o objetivo, conseguimos, sim, automatizar. Uma ferramenta bastante útil para automatização é o Excel, seu conjunto de fórmulas e funções são atualizadas e potencializadas a cada atualização, além de compatibilidade e conectividade com outros sistemas.

Neste artigo, vou me ater aos softwares de mineração, que na sua grande maioria vem com ferramentas para criação de scripts e macros. Em resumo, a diferença básica entre script e macro, é que no script os comandos são gravados e reproduzidos utilizando um método próprio (por exemplo, uma linguagem de programação); já na macro, os comandos são gravados e reproduzidos dentro do próprio programa, logo os comandos já existentes do programa são gravados sem a necessidade de criar um código de programação associado. Por exemplo, um simples clique numa opção para exibir o arquivo, podendo até gravar um conjunto de comandos para um tratamento de diversos arquivos com várias funções.


No artigo A EFICIÊNCIA DO USO DE MACROS NA CONSTRUÇÃO DO PLANO DE LAVRA abordamos as aplicações e vantagens do uso de macros no processo de construção do plano de lavra. As macros foram criadas pelo software especialista MicromineTM  (O Micromine foi desenvolvido pela empresa australiana de mesmo nome, líder mundial no fornecimento de soluções para todas as fases do processo de mineração). Este software permite que todas as atividades realizadas na construção do plano de lavra sejam otimizadas e alteradas desde a criação dos avanços de lavra até o pit final, já incluindo os cálculos de cubagem e plotagem do mapa; favorecendo, portanto, uma melhor análise e tomada de decisão. Inserimos no sistema dados (localização da jazida, distância do local de básculo, ângulos dos taludes, topografia da região, fatores geológicos entre outros) que possibilitam a elaboração do plano de extração da substância mineral pretendida. Considerando que macros são ferramentas facilitadoras na rotina de planejamento de mina, no artigo demonstra-se as vantagens proporcionadas pela utilização das macros na elaboração do plano de lavra.

Todos os dados para criação de uma cava são inseridos no software, em seguida são projetados os pés, cristas e rampas, cria-se a superfície da cava retira-se a intersecção desta pela topografia tanto externa quando interna, obtendo a área da cava bem como seu volume. A partir do volume calcula-se a tonelada associada a esta cava, cortando este volume pelo modelo de blocos, obtemos a contagem de blocos no interior, esta contagem chama-se cubagem. Após esta cubagem é plotado na tela a topografia cortada pelo limite cava, gerando um mapa que faz parte do planejamento de lavra.
Todas estas etapas de projeto do avanço ou cava, corte com a topografia, cubagem e plotagem do mapa executadas no MicromineTM podem ser automatizadas utilizando o advento das Macros. Neste contexto o trabalho apresenta as vantagens no uso destas macros na criação do plano de lavra, obtendo mais agilidade e eficiência na criação da cava, aumento no tempo resposta numa possível mudança de cenário ou acompanhamento da lavra. 
Para criação deste trabalho foi utilizado uma topografia regional: criamos uma cava com bermas de 15 metros, altura do talude de 10 metros, ângulo de 85O, o grade das rampas é de 10%, a cava foi feita no método open pit com 5 bancadas abaixo da cota do terreno. Todos os passos de projeto da cava foram criados no MicromineTM.Após abrir e criar um projeto no MicromineTM, abrimos a topografia da região (Figura1(Passo1)) em seguida é criado um arquivo de Design de Cava (Figura1(Passo2)) onde adicionamos o nome do arquivo e setamos os parâmetros da cava, por fim dessa etapa criamos a crista da cava no local de interesse (Figura1(Passo3)).



 Como a cava será projetada de cima para baixo, será criada um conjunto de rampas até o final do pit, ao clicar na ferramenta estrada para projetar a rampa, será solicitado o início da rampa e será chamado a janela de “propriedades da estrada”, ao clicar “OK” será projetada a rampa (Figura2(Passo4)), logo deve-se repetir o mesmo comando até alcançar o fundo da cava (Figura2(Passo5)).




  Com a cava iremos criar as superfícies para cálculos de volume e tonelagem. Para criação da superfície da cava, devemos selecionar as cristas, pés e rampas e selecionar a opção de criação de superfície (MDS), será chamada a janela “contruir MDS”, onde salvamos o tipo de superfície e sua cor.




Com a cava, topografia e o modelo de blocos, geramos o volume da cava (Figura4(Passo6)) e (Figura4(Passo7)) bem como a cubagem do modelo de blocos do interior do volume (Figura4(Passo8)), (Figura4(Passo9)) e (Figura4(Passo10)), estas são as informações necessárias para a criação do plano de lavra.


O MicromineTM, exporta os dados da cubagem do modelo para o Excel, para isso utilizamos a opção de “Exportar para Excel” onde chamamos o modelo do volume criado.




Para geração do mapa do plano criamos diversas operações boleanas entre as superfícies, o MicromineTM, nos permite criar estas operações na mesma janela “Operações de Interseções de Malhas Trianguladas”, bastando apenas modificar a operação, primeiramente criamos o volume da cava (Figura6(Passo11)) em seguida o corte da topografia com a cava (Figura6(Passo12)). 



Para cortar a cava pela topografia (Figura7(Passo13)) em seguida criação do limite da cava utilizaremos a interseção boleana (Figura7(Passo14)), onde o resultado não será uma superfície e sim uma linha da região da cava. O resultado final será a cava, topografia e limite da lavra (Figura7(Passo15)).




Caso a cava não atenda o que se está buscando todos os passos anteriores deverão ser repetidos até a conclusão do plano de lavra. A Macro irá executar automaticamente todos os comandos que utilizamos para criação do plano de lavra, para isto precisamos criar a Macro, essa etapa é feita apenas uma vez. A Macro pode ser editada quantas vezes for necessário caso queira adicionar ou retirar algum comando. Para criar a Macro, chamamos um “Novo Arquivo” e (Figura8(Passo16)) e escolhemos um nome, seu tipo e título. Será criado uma tela para introdução dos comandos (Figura8(Passo17)), a primeira coluna chama-se PROCESSO, onde escolhemos o comando que iremos adicionar na MACRO, as colunas com “%”, são as entradas de dados que serão chamados automaticamente nos processos da macro, para isso devemos chamar sempre essa linha de COMMENT, pois o MicromineTM, entenderá 13 14 15 como comentário para entrada dos dados. Abaixo da linha COMMENT se escolhe o comando que irá iniciar a macro, nesse trabalho iniciaremos com a criação da superfície da cava, ao ser escolhido devemos clicar com o botão direito do mouse na coluna “Formulário” (Figura8(Passo18)), será chamado a janela do comando (Figura8(Passo19)), aonde for entrada ou saída de dados adicionar o “%” na posição da tabela da Macro, no caso na janela abaixo %1 será a entrada do arquivo do pit da cava. Ao concluir toda a setagem de entrada e saída de dados, deve-se salvar a tela para que a Macro sempre busque a mesma opção, para isso clicamos no botão Formas, onde a Macro entende cada tela como “Formulário”, em seguida clica no botão “Salvar Como” (Figura8(Passo20)), escolhe o número qualquer para o formulário e um nome condizente com a ação.

Em seguida repete-se estes passos para todos os comandos utilizados para criação do plano de lavra, com suas entradas e saídas, de forma que o resultado final sejá a (Figura9).



Para realização deste trabalho, utilizamos os comandos para criação de uma cava no método open pit, o tempo total gasto para elaboração do plano foi de 11 minutos e 14 segundos. Considerando a macro já criada, a digitação das entradas e saídas de dados, o plano foi concluído em 1 minuto e 37 segundos, reduzindo o tempo de elaboração em 9 minutos e 37 segundos. Conclui-se que a macro é uma ferramenta facilitadora na rotina de planejamento de mina, onde aumentamos o tempo de análise dos dados, podendo reduzir os custos da lavra e gerando mais cenários para o mesmo plano. Lembrem-se que a automatização tem que ter o caráter de facilitar o trabalho que você já conhece, e não queimar etapas, muito menos deve ser usado para pro-crastinação, o principal objetivo é sobrar tempo para analisar melhor o seu projeto e criar novas oportunidades, não vamos fazer como o rapaz dessa reportagem do link http://olhardigital.uol.com.br/noticia/homem-fica-6-anos-sem-fazer-nada-aposautomatizar-seu-trabalho/59210. 

Qualquer dúvida enviar e-mail que estou à disposição. Jony Peterson de Oliveira Lima – Engenheiro de Minas jony_lima@yahoo.com.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…