Pular para o conteúdo principal

SIMPÓSIO DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE MINERAIS INDUSTRIAIS DO NORDESTE REALIZADO NA PARAÍBA REUNIÃO MAIS DE 400 PESSOAS



O IX Simpósio de Rochas Ornamentais do Nordeste (IX SRONE) e IV Simpósio de Minerais Industriais do Nordeste (IV SIMIN), realizados entre os dias 10 e 13 de abril de 2016, em João Pessoa, na Paraíba, promovidos pelo Centro de Tecnologia Mineral (Cetem/MCTI), receberam 400 profissionais do setor durante os quatro dias dos eventos. Foram apresentadas alternativas para o desenvolvimento sustentável da produção de rochas ornamentais e dos minerais industriais no País. A próxima edição ocorre em 2018 e a cidade mais cotada para receber o evento é Fortaleza.
Os simpósios foram organizados pelo Centro de Tecnologia Mineral (Cetem/MCTI), em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com o apoio do Governo do Estado da Paraíba e do SEBRAE/PB. O IX SRONE, o IV SIMIN e a ExpoROMINN integraram as atividades comemorativas dos 38 anos do Cetem, e dos 40 anos de criação do Curso de Engenharia de Minas da UFCG.
A abertura dos simpósios teve as presenças de Carlos Nogueira Junior, secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, representando o Ministério das Minas e Energia; o Diretor do Centro de Tecnologia Mineral (Cetem),Fernando Antônio Freitas Lins; o reitor da Universidade Federal de Campina Grande, José Edílson de Amorim; Anízio Brasileiro de Freire Dourado, reitor da Universidade de Pernambuco; o secretário de Estado da Paraíba, João Azevedo ou Marcelo Sampaio Falcão, Diretor de Recursos Minerais do Governo da Paraíba; o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo; o Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Miguel Nery e o Coordenador Nacional da Rede APL Mineral e presidente da Comissão Organizadora dos dois simpósios, Francisco Wilson Hollanda Vidal.
O evento homenageou ainda profissionais com relevantes contribuições em prol do desenvolvimento do setor mineral brasileiro. Pelos trabalhos voltados às micro e pequenas empresas do setor mineral, promoção e apoio do Ministério das Minas e Energia, um dos destaques foi Carlos Nogueira Junior, secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Reinaldo Dantas Sampaio, Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (ABIROCHAS), teve reconhecimento por seu papel no desenvolvimento de programas voltados ao setor de rochas ornamentais, desde atividades da cadeia produtiva ao uso e aplicação dos materiais em projetos de arquitetura. O reitor da Universidade Federal de Pernambuco, Anísio Brasileiro de Freitas Dourado, foi lembrado por sua iniciativa de incluir nos cursos de arquitetura e urbanismo a disciplina que sobre utilização de rocha na arquitetura. Pelo Cetem, o Diretor, Fernando Lins, pelo incentivo às atividades de PD&I voltadas às micro e pequenas empresas do setor mineral e o pesquisador Carlos Peiter, pelos relevantes serviços na implantação do Núcleo Regional do Centro no Estado do Espírito Santo receberam homenagens.

Os simpósios registraram a apresentação de 66 trabalhos técnicos e científicos de rochas ornamentais, sendo que 26 expostos oralmente e 63 de minerais industriais, 35 de forma oral, plenamente debatidos nos simpósios. Os minicursos de atualização profissional aconteceram nas áreas de Rochas Ornamentais, onde foram tratados os temas: “Usos de rochas na arquitetura e urbanismo”, “Variedades, seleção e orientações para a conservação das rochas ornamentais” e “Projeto, colocação e manutenção de fachadas em pedra natural na arquitetura contemporânea” e de Tecnologia Mineral. Neste segundo minicurso os temas debatidos foram “Água na mineração”; “Minerais industriais cerâmicos: mercado, tecnologia e oportunidades” e “Viabilidade econômica de empreendimentos mineiros”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…