Pular para o conteúdo principal

ESCRITORA PICUIENSE LANÇOU ÚLTIMO LIVRO DA TRILOGIA PICUÍ DO SERIDÓ NO PAVILHÃO DA FESTA DE SÃO SEBASTIÃO.

Aconteceu no sábado, 16 de janeiro, o lançamento do último livro da trilogia PICUÍ DO SERIDÓ, da advogada e jornalista picuiense Fabiana Agra. O evento, que ocorreu no pavilhão da Festa de São Sebastião, contou com a presença de centenas de picuienses que aproveitaram a oportunidade anual de confraternização proporcionada pelas festividades do padroeiro da cidade, para também conhecerem o conjunto da obra da escritora.

“Picuí do Seridó – Século XX: Vol. II (1951-2000)”, como o próprio título sugere, trata dos acontecimentos da última metade do século XX, inserindo o município de Picuí na Paraíba, no Brasil e no mundo, dando ênfase ao país que enfrentou e atravessou o período de ditadura civil-militar, viveu intensamente os anos 80 e viu o alvorecer do século XXI.


Em 2015, Fabiana Agra lançou o segundo volume da trilogia, “Picuí do Seridó – Século XX: Vol. I (1900-1950), que retratou o florescimento de Picuí a partir da década de 1910, e o seu crescimento a partir da II Guerra Mundial, devido à extração de minerais estratégicos pelos EUA. Em 2011 havia sido lançado “Picuí do Seridó: dos primórdios até 1930”, que fez o resgate documentário do lugar como fazendo parte da “Ribeira do Seridó” e, seguindo o curso do rio homônimo, a pesquisadora contou a história do Seridó Oriental e de parte do Curimataú Ocidental da Paraíba desde a pré-história, passando pelo massacre dos índios tarairiús, pela concessão das primeiras sesmarias na região até o nascimento da República e o seu reflexo sobre o então nascente município picuiense.



Ao ser indagada se vai parar por aqui, Fabiana disse que, pelo contrário, já estão bem adiantadas as pesquisas que tratam sobre a possível presença de cristãos-novos em nossa região, completando que “pesquisar é como um remédio para a alma; descobrir o que estava até então encoberto é um alento para quem vive nos dias atuais, então, parar de buscar significará desistir de viver e passar apenas a existir. Isto, jamais”. Os três livros que falam sobre a história de Picuí e região continuam a ser vendidos na residência da escritora, situada na Praça João Pessoa, 16, centro – Picuí.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…