Pular para o conteúdo principal

CARIRI PARAIBANO TERÁ PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE GEOPARQUE

Localização dos geossítios cadastrados na primeira
etapa de campo no Cariri Paraibano
Por sua geodiversidade, principalmente as geoformas, a região do Cariri Paraibano, localizada na mesorregião da Borborema, semiárido nordestino, é representada por grandes lajedos recobertos por matacões decamétricos de variadas formas e graus de arredondamento, que, junto à paisagem árida, configuram excepcional paisagem de beleza e contemplação. Adicionalmente, ocorrem importantes registros geológicos e paleontológicos relacionados à Bacia de Boa Vista.


Geossítio Sacas de Lã, designado como um Castle Koppie
Na região há, também, sítios arqueológicos, representando vestígios de civilização pré-colombiana, encontrados nos lajedos na forma de pinturas rupestres. O local possui atrações de importância para a prática do geoturismo, representando exemplo de sucesso em projetos de conservação ambiental e interiorização. No sentido de estimular o desenvolvimento sustentável suportado pela geodiversidade da região, em particular de caráter turístico, fez com que o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) incluísse o local no escopo do Projeto Geoparques (DHT/DEGET).


Geysson Lages, Carlos Schobbenhaus, Rogério Valença, 
Djair Fialho, Marcos Nascimento e Leonardo Figueiredo,
à sombra de um matacão granítico
Para a elaboração da proposta de criação do Geoparque Cariri Paraibano foi considerado o destaque do patrimônio geológico-geomorfológico, além da beleza natural e importância cultural. A ação catalisadora desenvolvida pela CPRM representa, entretanto, somente o passo inicial para o futuro geoparque. A posterior criação de uma estrutura de gestão do geoparque e outras iniciativas complementares são aspectos essenciais e deverão ser propostas por autoridades públicas, comunidades locais e interesses privados agindo em conjunto.


Geossítio Lajeado do Pai Mateus


No período de 8 a 12 de dezembro de 2014, técnicos da CPRM e docentes das universidades UFPB, UEPB e UFRN, realizaram um trabalho de campo nos municípios de Cabaceiras e Boa Vista, para avaliar o potencial da região. Foram levantados 11 geossítios que representam geoformas esculpidas em rochas graníticas neoproterozóicas, a exemplo dos lajedos do Pai Mateus e Bravo, bem como, sedimentos bentoníticos, lavas almofadadas (pillow lavas), fósseis de vegetais e icnofósseis relacionados à Bacia de Boa Vista do limite Oligoceno-Mioceno.



A equipe responsável pelo levantamento foi formada pelo coordenador nacional do Projeto Geoparques, o geólogo Carlos Schobbenhaus, pelo coordenador regional do projeto, o geógrafo Rogério Valença, pelo responsável técnico do Projeto Folha Boqueirão, o geólogo Geysson Lages, representando a CPRM; e pelos professores Marcos Nascimento e Leonardo Figueiredo, respectivamente da UFRN e UFPB; e também pelo arqueólogo Djair Fialho, da UEPB.


Por fim, vale mencionar que a equipe de mapeamento da Folha Boqueirão (1:100.000), baseada na CPRM/SUREG-Recife, submeteu à Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos (SIGEP), em 2013,  proposta de criação do geossítio “Mar de Bolas do Lajedo do Pai Mateus”, na categoria de Sítios Geomorfológicos.


 Aprovado como SIGEP No 068, esse geossítio foi publicado no Volume III da referida comissão e pode ser baixado no endereço 


Fonte: BLOG CPRM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…