Pular para o conteúdo principal

IMPORTANTE NA FORMAÇÃO GEOLÓGICA, CARIRI ORIENTAL PODE SE TORNAR 2º GEOPARQUE DO PAÍS

Na terceira reportagem da série “Paraíba 4X4 Cantos” o Cariri Oriental é explorado em sua diversidade geológica, arqueológica, cultural e mística. Terra do curandeiro Pai Mateus e dos Velhos Caryrys, os lajedos revelam como viveram os paleoíndios. A região representa um aspecto tão complexo da formação geológica que está cogitada a tornar-se o segundo geoparque do Brasil. A reportagem aponta o potencial da Paraíba para o turismo pedagógico e foi realizada em parceria com a J. Carneiro, Zarinha Centro de Cultura, Energisa e Cariri Expedition.


Turismo pedagógico em alta


No alto do Lajedo do Bravo, em Boa Vista, próximo de Campina Grande, mais de 50 estudantes do curso de História da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) faziam silêncio para entender as práticas ritualísticas dos antigos paleoíndios na Furna do Tapuia explicadas pelo arqueólogo Djair fialho. O sol estava sumindo no horizonte e o lusco-fusco tornava ainda mais instigante as histórias de oferendas humanas, canibalismo, danças, ingestão de plantas alucinógenas e pinturas nas paredes dos rochedos. Era como se fosse possível remontar as rotinas desses homens pré-históricos a partir dos vestígios arqueológicos encontrados no local. A aula prática superou todas as expectativas dos alunos que retornaram impressionados. “A Paraíba é um celeiro de conhecimento de história e tem um potencial latente para o turismo pedagógico”, avalia a presidente da PBTur - Empresa Paraibana de Turismo, Ruth Avelino.

Leia mais Notícias do Portal Correio



Francisco Cardoso de Oliveira, Seu Tico da Pedra da Boca, em Araruna; Alesçandra Mariz, do Monumento Natural Vale dos Dinossauros, em Sousa; Mônica Lúcia Gomes, de Cacimba de Dentro e Djair Fialho, condutor de geoturismo, são algumas das pessoas que trabalham diretamente na recepção de turistas e garantem que o turismo pedagógico cresceu muito nesses dois últimos anos na Paraíba. “Mais de 60% dos visitantes do Vale dos Dinossauros são estudantes”, afirma Alesçandra Mariz, diretora do Museu. “Cada vez mais os estudantes estão saindo das salas se buscando uma vivência em campo e vejo isso pelos grupos que conduzo”, analisa Djair Fialho que tem conhecimento para expor informações mais profundas sobre os lugares históricos onde leva os estudantes.


“Vemos o Turismo como um setor da economia e destacamos seus segmentos: o turismo de negócios, o religioso, o de lazer, o de experiência e o pedagógico. E nosso planejamento é trabalhar na implementação desses segmentos. O turismo pedagógico está crescendo claramente, embora não tenhamos números oficializados, vemos isso na prática. De fato, um estado que tem uma Pedra do Ingá, um Lajedo de Pai Mateus, um Vale dos Dinossau ros e muito mais atrações históricas tem um potencial nato para a inserção de aulas práticas nos currículos escolares”, ressalta Ruth Avelino.


Fonte: Portal correio da PB- Leia a matéria completa na edição deste domingo do jornal Correio da Paraíba. 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…