Pular para o conteúdo principal

PICUÍ-PB: TÉC EM MINERAÇÃO FALA DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE TRAVAM O DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE MINERAL NO MUNICÍPIO

O extrativismo mineral no município de Picuí-PB constitui a atividade garimpeira de maior relevância da Província Pegmatítica do Seridó  Paraibano. Desde a exploração da tantalita dos  pegmatitos pelos norte-americanos durante a segunda guerra mundial para fabricação de armamento bélico até os dias atuais, a lavra continua sendo feita de forma rudimentar, mesmo com a necessidade do mercado em processar quartzo, feldspato e mica, abundantes nos pegmatitos.

  Segundo o técnico em mineração Antonio de Pádua Sobrinho a utilização de picaretas, enxadas pás, pixotes e carros de mão, dificultam enormemente o desmonte, transporte, carregamento e escoamento da produção. “O maior desafio para a regularização desta atividade é a falta de organização, entretanto falta suporte técnico permanente  para a estruturação de formas avançadas para o desenvolvimento da atividade.” Disse.

“Atualmente venho desenvolvendo alguns projetos de pesquisa aqui na região, juntamente como o geólogo e professor do IFPB campus Picuí Francisco de Assis Souza, e o técnicos em mineração Paulo Sales e Anselmo Araújo e alguns estudantes do curso de mineração do IFPB,  estamos sempre indo in loco para entender e compreender  por quem e como  é realizada a atividade,  estes   estudos locais  revelam   a importância deste segmento  no suporte à sustentabilidade econômica e à qualidade de vida de centenas de famílias que sobrevivem da extração e venda do minério.” Destacou

 "No entanto, temos constatado que  os principais  problemas que travam o desenvolvimento desta atividade  no município de Picuí  estão relacionados  a falta de planejamento,  pesquisa mineral, mapeamento geológico básico,  presença do atravessador no campo da comercialização , onde o minério extraído é repassado  sem agregação de valor  na maioria das vezes vendidos  a preços irrisórios de mercado.” Frisou

Para o Sobrinho para que haja o   fortalecimento desta atividade  na  região é necessário que se faça  a contratação de profissionais para atuarem na pequena mineração desde a fase de pesquisa passando pela legalização junto ao DNPM, planejamento tecnológico, exploratório, mercadológico e ambiental,  agregando ainda a segurança e saúde do trabalhador; que devem adotar  de logística capaz de integrar toda cadeia produtiva.Esta é a maneira  mais eficaz de conduzir treinamento básico de condições de acessibilidade ao subsolo, ao aproveitamento eficaz dos recursos minerais disponíveis,  à segurança e saúde no trabalho e à recuperação ambiental das áreas degradadas e ao  fomento ao avanço tecnológico, social, ambiental e econômico à pequena mineração.” Concluiu  




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…