Pular para o conteúdo principal

SITUAÇÃO ATUAL E AÇÕES DESENVOLVIDAS EM PROL DA ATIVIDADE MINERAL DO SERIDÓ PARAIBANO.

Atualmente um grupo de pesquisadores da cidade Picuí vem desenvolvendo alguns trabalhos e projetos  em prol da atividade mineral da região do Seridó Paraibano são eles: o geólogo e professor do IFPB campus Picuí Francisco de Assis Souza e os técnicos em mineração Antonio de Pádua Sobrinho , Paulo Sales e Anselmo Araújo.

Segundo Antonio de Pádua Sobrinho  a história da atividade garimpeira no Seridó  Paraibano tem registro oficial do início do século XX, coincidindo com os períodos das duas Grandes Guerras Mundiais. Na Segunda Grande Guerra houve um incremento na produção mineral em pegmatitos graças à decisão do governo americano em enviar geólogos (American Geological Survey) e engenheiros com o objetivo de pesquisar e explorar  minérios na região,dentre eles, tântalo, nióbio e tungstênio, para o fabrico de equipamentos bélicos. “Diante da necessidade na obtenção de matéria prima em abundância, contaram com a larga experiência dos garimpeiros, recrutando-os e treinando-os no exercício da atividade de exploração do minério, porém o tempo passou novos garimpos entraram em operação, porém, não ocorreram avanços significativos em tecnologias e pesquisas exploratórias” Destacou.

 “Estamos realizando algumas ações  sempre focando a pequena mineração do Seridó em especial dos municípios de Picuí e Frei Martinho,  indo in loco realizando um  levantamento global das condições socioeconômicas, de segurança e saúde do pequeno minerador (garimpeiro) do Seridó paraibano, como também da degradação ambiental decorrente da lavra predatória. georreferenciando  os garimpos e confeccionando  mapas  para facilitar a localização e vias de acesso, entrevistando  garimpeiros sobre as condições de trabalho, riscos potenciais de acidentes e ambientais, palestras temáticas estão sendo realizadas objetivando debater ações de prevenção da doenças e acidentes de trabalho com uso de EPIs, melhorias socioeconômicas do garimpeiro, recuperação ambiental de áreas degradadas pela mineração, processamento do minério para agregação de valor monetário,  como forma de humanização e sustentablidade da atividade garimpeira, trabalhos científicos,  que  tem  gerado vários TCCs e artigos científicos apresentados em Palestras, Simpósios e Congressos Nacionais e Internacionais, registrando e divulgando a pequena mineração do Seridó paraibano para o Estado, o Brasil e o Mundo, além de está  sempre buscando apoio do IFPB campus Picuí, do CEREST, do Governo do Estado da Paraíba, das prefeituras municipais do Seridó paraibano e das cooperativas minerais, como forma de colaboração no combate aos males do garimpo.”Disse


Recentemente  os pesquisadores   tiveram 2 trabalhos aceitos para serem apresentados em Cancún no México durante o  Shechtamn Internacional Symposium que será realizando entre os dias 29 de junho a 4 de julho. “ A oportunidade é essa. O IFPB campus Picuí, juntamente com o Seridó Paraibano serão projetados para o mundo. Nós pesquisadores abordaremos a problemática da atividade garimpeira para a comunidade científica.  O  AMERICAN GEOLOGICAL SURVEY se fará presente no Shechtamn Internacional Symposium.   Com certeza há algum registro da passagem dos seus geólogos pelo Seridó paraibano nos idos da Segunda Grande Guerra Mundial e seus integrantes ficarão surpresos a constatarem que quase nada mudou daquele tempo para cá.” Concluiu  Francisco Souza 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(VIDEO) ENGº DE MINAS DA CIDADE DE PICUÍ FOI DESTAQUE NO DOMINGO ESPETACULAR

Em Pindobaçu (BA), conhecida como a capital mundial da esmeralda, garimpeiros encontraram recentemente uma preciosidade que pode valer dezenas de milhões de reais. Trata-se de uma rocha de 1,30 m e 365 kg, cravejadas de esmeraldas, um verdadeiro tesouro geológico debaixo do solo brasileiro. O Domingo Espetacular entrou na mina de origem da pedra e mostra qual deve ser o destino dela. Acompanhe! Na o ocasião o   Engenheiro de Minas, da cidade de Picuí, Paraíba,  Marcelo Araújo Santos,  formado pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Falou sobre a mina.
Veja a reportagem: 




Setor mineral em foco com domingo espetacular.

MINERAL RARO PODE TER SIDO ENCONTRADO EM FREI MARTINHO PARAÍBA

A MINA ESCOLA EM SANTA LUZIA PODE SER USADA PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DE MINERAÇÃO.

A Mina Escola  fica  localizada as margens da BR-230 que corta o Sertão do Estado da Paraíba, quem passa pela cidade de Santa Luzia com destino à  Patos ou de Patos destino à Campina Grande,  consegue ver suas instalações.
Segundo o técnico em Mineração Antônio de Pádua Sobrinho, a Mina Escola   apesar de está desativada continua sendo um  verdadeiro laboratório podendo  ser utilizada para a realização de  aulas práticas para  estudantes de Engenharia de Minas, de Geologia, e de técnicos em mineração ou até mesmo como ferramenta para projetos que buscam o desenvolvimento da Mineração no Estado. “Percorrendo as instalações da Mina é possível observar que muitas aulas podem ser ministradas no local, como de Geologia, Lavra, desmonte de rochas e beneficiamento de Minérios, ou quem sabe utiliza-la  para o turismo,tendo em vista o seu valor histórico e cultural,  em sua maioria desconhecido pelas gerações mais jovens,  seria  uma forma de preserva esse patrimônio  como acontece em algumas M…